Where Are You Christmas?

A paz do Natal


Glória a Deus nas maiores alturas, e paz na Terra entre os homens, a quem Ele quer bem. Luc. 2:14.

O senador John McCain passou cinco anos e meio como prisioneiro de guerra em Hanói, durante a guerra do Vietname  Ele e muitos outros pilotos enfrentaram sofrimentos terríveis. Mas chegou um dia, do qual McCain se lembra claramente, quando eles puderam erguer-se acima do abuso e do isolamento.

Era a véspera de Natal de 1971. Poucos dias antes, McCain pôde ter uma Bíblia em suas mãos por apenas uns poucos momentos. Rapidamente, ele copiou o maior número que pôde de versos da história do Natal, antes que um guarda se aproximasse e lhe tomasse a Bíblia.

Naquela noite especial, os prisioneiros decidiram fazer o seu próprio culto de Natal. Eles começaram com a Oração do Senhor e depois cantaram músicas de Natal. Entre cada hino, McCain lia uma passagem.

Os homens estavam nervosos e, no começo, pareciam tensos. Eles lembraram-se de quando, um ano atrás, os guardas invadiram o local onde eles, secretamente, faziam o seu culto, e começaram a bater nos três homens que lideravam as orações. Estes foram arrastados para o confinamento da solitária. O restante foi trancado em celas por 11 meses.

Mesmo assim, naquela noite, os prisioneiros queriam cantar. E eles começaram a cantar: "Chegai-vos, ó crentes, vinde jubilosos…" Eles cantavam bem baixinho, com os olhos fixos nas janelas engradadas de sua cela. À medida que o culto progredia, os prisioneiros foram ficando mais corajosos. Suas vozes se elevaram um pouco mais até que encheram a cela com: "Já soou por todo o céu: ‘Glória ao Rei que vos nasceu!’" e "Soou em meio à noite azul."

Quando puseram-se a cantar: "Tudo é paz! Tudo amor!", as lágrimas começaram a rolar em seus rostos barbados. Mais tarde, John McCain escreveu: "De repente, estávamos longe dali, em uma vila chamada Belém, 2.000 anos atrás. Nem a guerra, nem a tortura, nem a prisão conseguiram desvanecer a esperança nascida naquela noite de paz, muito tempo atrás."

Se Lhe abrirmos nosso coração, Jesus também nos dará Sua paz. Assim como Ele transformou uma prisão norte-vietnamita em um lugar cheio de amor, Ele também deseja encher o seu lar de amor ainda hoje.
M.Finley
Retiro Espiritual para TODA a IASD - Figueira da Foz + Pombal + Santana
Inscreve-te!

Fixa Teus Olhos no Mestre

Apagar as Luzes Para Ler Melhor

O povo que jazia em trevas viu grande luz. Mateus 4:16

 Viajando algumas vezes à noite na lancha médico-missionária “Pioneira” pelo rio Araguaia, pude aprender que, quanto mais escura for a noite, melhor é para o piloto. Devido à claridade ténue e difusa dos astros, ele pode divisar com mais nitidez as silhuetas das copas das árvores, dos morros e de outros acidentes geográficos de ambas as margens do rio, que servem como pontos de referência para uma navegação nocturna mais segura.

 Dentro da cabine de comando não deve ter nenhuma luz acesa. É preciso apagar todas as luzes para se poder divisar além e avançar com segurança.

 As trevas, portanto, podem ser de muita utilidade em certas circunstâncias e nos ensinam preciosas lições para nossa vida espiritual.

 Foi em meio à escuridão do deserto, tendo o céu estrelado por sobre a cabeça, o solo frio por leito, uma pedra por travesseiro, somados ao temor da solidão e ao desespero da insegurança a oprimirem-lhe a alma, que Jacob viu uma escada brilhante cujo topo tocava o Céu, pela qual anjos gloriosos e magníficos subiam e desciam.

 E o Senhor, que estava no cimo daquela escada mística, olhou ternamente para Seu filho em aflição e, com amor de Pai, falou-lhe: “Eis que Eu estou contigo, e te guardarei por onde quer que fores [...], porque te não desampararei” (Gn 28:15).

 “Nas tormentas da vida, quando andamos pela sombra do vale ou nos debatemos num mar de dúvidas e desespero, é a luz de Jesus que nos dá esperança e nos ajuda a encontrar o caminho de volta para Seu porto seguro”, escreveu Francis Charles.

 Às vezes, Deus precisa revelar-Se para você e para mim nos dias mais escuros e tristes da nossa vida, como fez com Jacob.

 Ele tem que apagar algumas luzes que brilham sobre nós e que nos impedem de ter uma visão mais nítida do carácter dEle e do Seu amor. São as luzes da nossa auto-suficiência, da justiça própria, do egoísmo, do orgulho, da hipocrisia, da crítica, da presunção e de tantos outros pecados.

 Só quando permitirmos que Deus apague todas essas luzes ofuscantes é que, do meio das trevas que agora nos envolvem, poderemos ver essa “grande luz” que emana da pessoa de Jesus Cristo. Só então os traços do Seu carácter se tornarão mais vivos e definidos aos nossos olhos.

O Come, Emmanuel

Ele Nos Entende


Por isso mesmo, convinha que, em todas as coisas, Se tornasse semelhante aos irmãos, para ser misericordioso e fiel Sumo Sacerdote nas coisas referentes a Deus e para fazer propiciação pelos pecados do povo. Heb. 2:17.

Uma tempestade se formava bem à frente do vapor inglês Ariel. A tripulação orientava os passageiros para que ficassem em baixo do convés, mas um deles fez um estranho pedido ao capitão: queria ser amarrado ao mastro. Surpreso, o capitão fitou aquele homem com o rosto curtido pelas intempéries. Finalmente, alguns tripulantes o atenderam.

O vapor singrava para o centro da tormenta. Durante quatro horas, o vento arremessava ondas furiosas, e o passageiro permaneceu ali, imóvel, indefeso. Ele sabia que ficaria assustado, que não seria capaz de ficar solto em cima do convés. Mas, conforme declarou mais tarde, ele queria ver e sentir a tempestade, experimentá-la sobre si.

Depois dessa experiência, o passageiro, o pintor Joseph Mallord William Turner, voltou para seu estúdio e pintou um notável quadro, retratando uma tormenta. Somente depois de experimentar a tempestade é que ele entendeu plenamente a sua fúria. Pintou uma obra-prima porque sentira pessoalmente a força avassaladora do vento, a violência da chuva, o balanço do barco, o spray salgado das ondas, o ribombar dos trovões na escuridão da noite.

Ao nos redimir, Jesus experimentou o que nós experimentamos, para que pudesse ser nosso perfeito Salvador. Precisava experimentar a fúria da tempestade, todos os desafios da vida. Precisava ser esmagado com todas as angústias e afligido com todas as mazelas.

Se você se sente só, Jesus entende, pois Ele experimentou a solidão quando a turba O rejeitou. Se já foi traído ou sentiu mágoa, lembre-se de que Jesus ficou magoado quando Judas O traiu. Seu corpo está prostrado pela dor? O dEle foi pendurado na cruz. Enfrenta tentações que parecem mais fortes que você? Jesus as experimentou também. Podemos ir a Ele com nossas angústias e tristezas. Temos um Salvador que Se compadece de nós e nos compreende.

Forte Deus

Olhando para Jesus


Olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus, o qual, em troca da alegria que Lhe estava proposta, suportou a cruz, não fazendo caso da ignomínia, e está assentado à destra do trono de Deus. Heb. 12:2.

Faz algum tempo, recebi uma carta de uma mãe que perdera dois filhos: um menino de três anos e um bebê de um ano e quatro meses, afogados na piscina da casa. Após um difícil período de luto, ela conseguiu redirecionar sua visão. Começou a olhar para Jesus com um propósito definido. Percebeu que valia a pena viver se Deus pudesse usá-la. Colocou a vida nas mãos de Deus e começou a experimentar um desejo intenso de estar mais perto dEle, de andar com Ele. Descobriu que isso tornava mais leve o fardo da perda.

Na carta, ela escreveu: "Agora, tenho fome e sede de Deus por causa do meu amor por Ele. Sei o que significa depender inteiramente dEle, buscá-Lo de todo o coração, amá-Lo com todo o meu ser. Sei o que é ter a alma tocada e confortada por Deus. Sei o que é descansar a cabeça em Seu peito." Em sua hora mais escura, esta mulher fixou o olhar em Jesus.

Olhar para Jesus, nas Escrituras, traz vitalidade espiritual para o nosso ser. Ali, Ele cura o enfermo, multiplica o pão, ressuscita o morto, perdoa o pecado, liberta endemoninhados e acalma tempestades, traz cura, felicidade e esperança, vence desastres, demónios e a morte. Derrota a tristeza, o sofrimento e a enfermidade, triunfa sobre o pecado e Satanás. Seus milagres revelam poder. Suas parábolas revelam os ensinamentos do Seu reino. Seus sermões revelam princípios eternos. Sua vida revela o amor de Deus; mostra a qualidade redentora da Sua graça.

"E todos nós, com o rosto desvendado, contemplando, como por espelho, a glória do Senhor, somos transformados, de glória em glória, na Sua própria imagem, como pelo Senhor, o Espírito." II Cor. 3:18. As verdadeiras mudanças de caráter ocorrem à medida que o Espírito de Deus impressiona nossa mente com os princípios da Sua Palavra. "É lei do espírito adaptar-se ele gradualmente aos assuntos de que é ensinado a ocupar-se." – Patriarcas e Profetas, pág. 596. Olhemos diariamente para Jesus a fim de que nos tornemos cada vez mais parecidos com Ele.

Josué 1

Sem Desculpas


Por isso, me abomino e me arrependo no pó e na cinza. Jó 42:6.

Diretores de uma empresa viviam dias de grande tensão, negociando com líderes sindicais. Reclamavam que os seus trabalhadores estavam a abusar das baixas médicas. O sindicato discordava. Certa manhã, na mesa de negociação, o representante da empresa mostrou a página de desportos do jornal local onde aparecia uma foto de um de seus empregados, descrito como vencedor de um torneio de golfe ocorrido na cidade. "Este homem," dizia o empresário, "ligou ontem dizendo que estava doente. Mas aqui está ele no jornal, que nos mostra a sua excelente pontuação na partida de golfe."
Após um momento de silêncio, um representante do sindicato manifestou-se: "Uau, já pensou quantos pontos ele marcaria se não estivesse doente?"
Não podemos negar, às vezes tentamos encobrir os nossos erros ou nosso mau comportamento. Mas, normalmente, não vamos muito longe com isso. Os nossos pecados têm uma forma de nos encontrar. O sábio é claro: "O que encobre as suas transgressões jamais prosperará." Prov. 28:13. 

Desculpas vazias não proporcionam respostas muito substanciais. Muitas vezes usamos um raciocínio inconsistente para encobrir os pecados mais grosseiros.

John Wayne Gacy Jr. foi condenado pelo assassinato de várias crianças dentro de sua casa, em Chicago. Ele alegou inocência, apesar da descoberta de 27 corpos num exíguo porão. E, ao enfrentar a morte por injeção letal, ele disse: "No meu coração, tendo Deus como minha testemunha, eu não matei ninguém." "Não era eu, na verdade." "Não pude evitar." Essas desculpas são muito comuns. Porém, as Escrituras apelam por algo muito diferente do que desculpas esfarrapadas.

Numa cultura que frequentemente nega a realidade do certo e do errado, Deus quer um arrependimento corajoso, de joelhos prostrados e de todo o coração.
Arrependimento é profunda tristeza pelo pecado. É dor sincera por ter magoado o coração de Deus. É o chorar pelos meus pecados porque Deus também chora por eles. É entristecer-me pelo meu pecado porque Deus Se entristece por ele.
Desculpas apenas produzem mais culpa.
O arrependimento leva ao perdão que, por sua vez, dá lugar à cura, e a cura traz plenitude.

Sleepless Night


Another Sleepless Night 
I'm turning in my bed 
long before the red sun rises. 
In these early hours 
I'm falling again 
into the river of my worries.

When the river runs away 
I find a Shelter in Your Name: 
JESUS...only Light on the shore, 
Only Hope in the Storm. 
Jesus, let me fly to Your Side 
There I would hide, JESUS. 

Hear my anxious Prayer 
The beating of my Heart 
The pulse and the measure of my unbelief 
Speak Your Words to me 
before I come apart 
Help me BELIEVE in what I cannot see 
Before the river runs away 
I will call upon Your Name:
JESUS...only Light on the shore 
Only Hope in the Storm 
Jesus, let me fly to Your Side 
There I would hide, Jesus.

Paz na Tempestade

E Ele, despertando, repreendeu o vento e disse ao mar: Acalma-te, emudece! O vento se aquietou, e fez-se grande bonança. Mar. 4:39.

O pequeno barco de pesca atravessava o Mar da Galileia sob o sol da tarde. Muitas vezes, Jesus e Seus discípulos fizeram aquela viagem, mas, naquele dia, repentinamente, uma tempestade passou a fustigar o lago, agitando suas águas. Ondas quebravam por sobre o barco, enquanto o vento açoitava as velas. Os experientes pescadores entraram em pânico, certos de que todos morreriam afogados. Mas Jesus levantou-Se e apoiou a mão no mastro. Enfrentando a força do vento, calmamente pronunciou duas palavras: "Acalma-te, emudece!"

Logo, tudo mudou. As nuvens negras se dissiparam. O vento amainou. As ondas se acalmaram. Os discípulos ficaram maravilhados, olhando para o mar azul e cristalino. E perguntaram: "Quem é Este que até o vento e o mar Lhe obedecem?" Mar. 4:41. "Quem é Este?" É Aquele que rege todas as coisas, que pode transformar a mais perigosa das situações, que está no controle da natureza; que diz uma palavra, e o vento e as ondas obedecem.

Jesus cria a paz e promete dá-la a cada um de nós. Fatos assustadores acontecem no mundo. Mas Jesus venceu todos os males da Terra. Venceu o caos do exterior e o caos do interior. Ele é mais forte do que qualquer coisa que possa nos ameaçar. É por isso que Ele nos traz a paz.

Há um enorme poder na paz de Jesus Cristo; um poder que podemos clamar nas circunstâncias mais difíceis, quando somos acometidos pela ansiedade ou atormentados por preocupações.

De acordo com Paulo, "a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus". Filip. 4:7. Há um paz que excede todo o entendimento. Mesmo quando a mente não pode entender, nem o coração confiar. Podemos ir a Cristo e depor a Seus pés nossos temores, preocupações, ansiedades e tensões. Ele acalmará a tempestade da nossa vida.

Creio que Tu és a Cura

Deus Ainda Remove Pedras

E eis que houve um grande terremoto; porque um anjo do Senhor desceu do Céu, chegou-se, removeu a pedra e assentou-se sobre ela. Mat. 28:2.

Imagine uma reunião da comissão da igreja no sábado à noite, véspera da Ressurreição. Maria fala para o pequeno grupo de seguidores de Cristo reunido no cenáculo. "Amanhã, bem cedo, nós vamos até a tumba para ungir o corpo de Cristo." Pedro diz: "Ungir o corpo? Não seja tola. É perigoso. Os soldados estão nas ruas. A situação ainda está muito tensa." Tomé diz: "Ungir o corpo? Impossível. Quem vai remover a pedra?" O consenso geral é que a missão é por demais perigosa. Soldados romanos estão guardando a tumba. A pedra pesa centenas de quilos. Como estas mulheres frágeis removerão a pedra?

As duas Marias não têm todas as respostas, mas têm muita fé. No dia seguinte, bem cedo, enquanto Jerusalém mal desperta, elas vão apressadamente até a tumba. E encontram uma grande surpresa: a pedra já estava removida.

Deus é um Deus de coisas impossíveis: A seu mando, jumentos falam; água sai da rocha; maná cai do céu, aves de rapina levam alimento, água se torna em vinho e Pedro encontra uma moeda na boca de um peixe.

Quando "andamos por fé e não pelo que vemos" (II Cor. 5:7), Deus remove as pedras de dificuldades, dúvidas, desânimo e desespero. Ele é o Deus dos impossíveis. "Isto é impossível aos homens, mas para Deus tudo é possível." Mat. 19:26.

"A fé é a força viva que… firma sua bandeira no centro do acampamento inimigo." – Filhos e Filhas de Deus (Meditações Matinais, 2005), pág. 202. "A fé faz leve cada fardo, alivia cada fadiga." – Profetas e Reis, pág. 175. "Os obstáculos amontoados por Satanás através de vosso caminho... desaparecerão em face da exigência da fé." – O Desejado de Todas as Nações, pág. 431.

Pela fé, segure na mão de Deus e O observe removendo as pedras do caminho. Creia em Suas promessas e espere Seus milagres. Pela fé, confie nEle em todas as circunstâncias e observe o que Ele fará em sua vida.

Lição nº5 – Crescendo em Cristo – 28 de Outubro a 3 de Novembro de 2012


Temos vindo a estudar o grande conflito entre o bem e o mal durante as últimas lições. Mas vimos queassim como há um problema de uma amplitude vasta, também há uma solução ainda maior.” Esta semana o título da lição é “Crescendo em Cristo”.

Infelizmente, quer queiramos quer não, estamos inseridos num mundo de pecado. Nascemos na condição de pecadores e por mais que lutemos, pelas nossas próprias forças não conseguimos sair desta situação. Mas, graças a Deus, podemos obter a vitória porque Cristo pagou o preço da nossa redenção (Leia 1 Pedro 1:18 e 19). A lição de Domingo diz-nos “O Cristianismo é “uma religião de redenção”, na qual as pessoas são salvas da devastação do pecado, por meio daquilo que outra pessoa – neste caso, Jesus – fez por elas.”. A morte de Jesus na Cruz foi a maior prova de amor por nós. A lição continua dizendo-nos que “Ele tomou o nosso lugar, sacrificando-se a Si mesmo em nosso favor, sofrendo o nosso destino de modo a que não tivéssemos de o sofrer nós mesmo.”.
A sociedade está tão corrompida com a maldade e precisamos de ser cuidadosos naquilo que fazemos. “A Bíblia retrata o nosso mundo como estando sob o domínio de forças do mal que procuram controlar-nos e, por fim, destruir-nos.”; “A humanidade pecadora está presa por um poder ou influência mais forte do que ela.” Esta influência pecadora por vezes pode levar-nos a pensar que somos demasiado pecadores para obter o perdão de Deus, que não somos merecedores do seu perdão porque pensamos que somos as piores pessoas do mundo, as que pecamos mais. Segundo Paulo sabemos que “por muito corrompida que tenha sido a nossa natureza pelo pecado, mediante Cristo podemos ser libertados do seu poder escravizante.”. Através do nosso Deus somos “escravos libertados” do pecado. “As boas novas são que, depois da Cruz, ficou garantida a vitória contra tais forças, ainda que a batalha continue acesa. O conflito é dramático, o cósmico e feroz, mas a vitória pertence a Deus, uma vitória que nós podemos partilhar pela fé.” (Leia João 12:31; Romanos 8:38 e 39).
“Cristo veio ao mundo com o propósito de destruir as obras do diabo (Hebreus 2:14)”. “Em resumo, a Bíblia ensina-nos que a vida é dirigida por uma variedade de poderes, tantos pessoais como impessoais. Sem Cristo, o homem está à mercê desses poderes, sejam de que forma forem. (…) Contudo, por meio de Cristo, fomos libertados não só dos nossos pecados como também da servidão sob esses “poderes”. Precisamos de compreender a natureza dessa vitória e reclamá-la como nossa.”. Segundo Ellen White “Por isso, os discípulos de Cristo, deveriam as perseguições causar alegria, em lugar de tristeza, porque elas são uma demonstração de que seguem os passos do Senhor.”. A Cruz é o símbolo da vitória sobre o pecado. Que possas viver a experiência do crescimento em Cristo no contexto desse conflito. Amém.
R.Melo

Abre os Meus Olhos


O Senhor abre os olhos aos cegos. Sal. 146:8.

Uma noite, no ano de 1849, J. Hudson Taylor, um adolescente inglês, ajoelhou-se ao lado de sua cama e orou por mais profunda consagração a Deus. Antes de levantar-se, Hudson ouviu o chamado divino e decidiu: iria para China, por amor a Cristo.

A partir desse dia, Hudson Taylor comprometeu-se com sua missão. Agências missionárias tentaram desanimá-lo. Sua saúde não era muito boa, não tinha educação religiosa formal, nem tinha dinheiro suficiente para pagar o curso de medicina. Mas o maior obstáculo era a indiferença das pessoas com relação à China. As necessidades de milhões de chineses eram um ponto cego para a maioria dos cristãos. A China era algo remoto e intangível, não para Hudson Taylor.

Depois de muita insistência, uma agência o enviou para a terra dos seus sonhos. Taylor estabeleceu a Missão do Interior da China, trabalhando em áreas onde nenhum estrangeiro jamais estivera. Foi dele a primeira missão interdenominacional que abriu caminho para o evangelismo mundial, no século 19.

Hudson Taylor desempenhou um importante papel na origem do movimento missionário moderno. Ele abriu muitos olhos que estavam cegos às necessidades de milhões de pessoas que viviam e morriam sem Cristo. O segredo de sua visão missionária é que, ainda jovem, aprendeu a dar respostas para Deus. E assim sua consciência tornou-se sensível.

Quando Deus o impressionou a dar sua última moeda de meia-coroa para uma família necessitada, ele a deu. Quando Deus sugeriu que ele falasse sobre Cristo para um colega cínico, Hudson falou. Ele sentia mais de perto e via mais claramente do que seus contemporâneos, porque deixava que Deus o iluminasse passo a passo.

Existe alguma coisa que não deixa você ouvir a voz de Deus? Sugiro que faça esta oração: "Senhor, abre meus olhos para que eu veja meu pecado e a Tua graça purificadora. Ajuda-me a ver os pontos cegos ou os meus defeitos de caráter. Dá-me um coração disposto a entregar tudo a Ti. Em nome de Jesus, amém."

Lição nº4- A Salvação: A Única Solução - 21 a 17 de Outubro de 2012



            Certamente que não será novidade se alguém disser que já teve um problema, uma doença, uma morte de um ente querido, etc. Mas é maravilhoso, e vimos na lição desta semana, que há uma solução através de Deus para que não soframos mais e não vivamos mais em pecado.
            Infelizmente o pecado é algo terrível. Que como vimos na lição anterior, o pecado entrou nesta terra com a queda de Adão e Eva. E hoje em dia o mal é visto como algo bom, e o bem como atitude de ingénuos. O coração do ser humano é mau, ganancioso, corrupto, enganador, só pensa em si mesmo, só queremos chegar ao "topo" não importam as consequências sobre os outros, e isso tudo, em geral, achamos aceitável. Esta é a nossa sociedade. A lição de Domingo até nos faz uma pergunta: "Quantos de nós não aprenderam já profunda, pessoal e dolorosamente quão mau é o problema do pecado?". É algo real, que está em cada um de nós. Mas assim como há um problema de uma amplitude vasta, também há uma solução ainda maior.
            Ellen White diz-nos na Segunda-feira que: "Logo que houve pecado, houve um Salvador. Logo que Adão pecou, o Filho de Deus apresentou-Se como penhor da raça humana, exactamente com tanto poder para impedir a condenação pronunciada sobre os culpados (...)". 
            Mas o que é que Deus apresenta para recuperar a vida eterna? Que solução é essa?
            João 3:16 (verso áureo): "Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o Seu Filho unigénito, para que todo aquele que n'Ele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.". Que maravilhoso. Um plano que já estava traçado à um longo tempo segundo nos diz Tito 1:2 "Na esperança da vida eterna, a qual Deus, que não pode mentir, prometeu antes dos tempos eternos.". "Deus deu o Seu Filho" para morrer na Cruz e assim nos salvar. É por Ele que nós hoje temos a possibilidade de obtermos o perdão dos nossos pecados. Que amor inigualável que Deus tem por mim e por ti. A lição de Terça, e convido-te a ler diz que "A gravidade do problema do pecado talvez possa ser melhor compreendida unicamente quando temos a noção do que foi preciso - a Cruz - para que ele fosse resolvido. (...) a morte de Cristo, Deus a tomar sobre Si os nossos pecados, é uma medida tão extrema quanto se possa imaginar.".
            Cabe a cada um de nós aceitar ou não a morte de Jesus na Cruz. A lição de quarta-feira diz que "Não basta simplesmente ter um conhecimento teórico da justificação. Precisamos de experimentar por nós mesmos o que isso significa." e acrescento mais, porque "Nada atinge tanto as profundezas da alma como sentir o amor perdoador de Cristo" e a "contemplação do amor de Cristo motiva a pessoa ao arrependimento."
            Hoje mesmo, tens a oportunidade de te encontrares com Deus, de O aceitares como teu Salvador, de acreditares n'Ele. Ele já deu o primeiro passo, já morreu por ti e por mim. "Tão grande era o Seu amor pelo mundo, que concertou entregar o Seu Filho Unigénito "para que todo aquele que n'Ele crê não pereça, mas tenha a vida eterna."".
            Ellen White ainda nos diz que:  “A simples audição de sermões sábado após sábado, a leitura da Bíblia de ponta a ponta, ou sua explicação verso por verso, não nos aproveitará nem aos que nos ouvem, se não vivermos as verdades da Bíblia em nossa experiência habitual. O entendimento, a vontade e os afectos devem ser submetidos ao domínio da Palavra de Deus. Então, pela obra do Espírito Santo, os preceitos da Palavra se tornarão princípios de vida” (A ciência do bom viver, 514). Sem um Salvador, esperava-nos a destruição eterna por causa do pecado. Porém, Deus deu-te a solução através do sacrifício do seu Filho. Porque esperas para te entregares a Ele? Que hoje possas tomar essa mesma decisão de te entregares a Cristo. Amém.
Ruben M.

Suas Asas

O poder da Palavra


Pois fostes regenerados não de semente corruptível, mas de incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente. I Ped. 1:23.

Conheci Robert Wong durante uma viagem para Hong Kong. Ele contou-me a história de 15 anos passados em uma prisão comunista, sentenciado que fora por causa de suas atividades missionárias. Nos primeiros anos, foi confinado em uma solitária. Nos quatro anos seguintes, uma vez por mês lhe permitiam receber visitas de familiares por apenas cinco minutos. Quando ele contou-me acerca de sua provação, não percebi nele nenhum traço de amargura ou raiva. Ele parecia transpirar o espírito de Cristo. O que o teria sustentado durante anos de isolamento?

Wong me contou o segredo. Disse-me que ninguém se referia aos prisioneiros pelo nome. A cada um deles era dado um número, como parte do esforço para apagar-lhes a identidade. Um dia, enquanto caminhava pelo pátio da prisão, Wong escutou um guarda chamar: "Prisioneiro 105!"

Aquele número ficou em sua mente, e ele se lembrou de que 105 era o número de um de seus hinos favoritos do hinário chinês: "Dá-me a Bíblia." Uma vez por mês lhe era permitido escrever uma mensagem, com 100 caracteres chineses, para sua família. Ao enviar mais uma carta, Wong a terminou com o número 105. E na visita seguinte, um dos familiares conseguiu levar uma Bíblia e entregá-la para ele. Robert Wong me disse: "Foi isso que me sustentou!" Aquele exemplar da Bíblia permitiu que ele fosse em frente. Antes disso, repetia várias vezes os versos que sabia de memória. Mas agora, ele tinha o precioso livro nas mãos.

A Palavra de Deus nos fortalece em meio às provações. Dá-nos poder para superar obstáculos, anima-nos em meio aos desapontamentos e nos inspira frente aos desafios da vida. Ela nos ergue dos pesares. É o pão que nutre nossa alma (ver Mat. 4:4). É a água da vida que satisfaz a sede interior (ver João 7:37). É a luz que ilumina a escuridão do caminho (Sal. 119:105).

M.Finley

PRECISAMOS DE UMA MÃOZINHA...

Este Domingo dia 21 ás 9:30h vamos pintar a escada e arranjar o jardim do Lar de Acolhimento de Sto António na Fontela! Contamos contigo!

Lição 3 - O Homem: Obra de Deus - 14 a 20 de Outubro de 2012


A lição desta semana leva-nos a um ponto, mais um vez, importante que é o assunto de nossa origem. Existem duas formas de pensar, e elas são completamente diferentes, a lição diz-nos que são ideias radicalmente opostas uma à outra. Uma fala de evolução, que nascemos do mero acaso através da luta para progredir, através do sofrimento e temos uma resposta à nossa origem, através da Bíblia que nos ensina que fomos feitos com um propósito, que tudo o que existe em nós, tem uma razão de ser.
            Génesis 1:27 diz-nos "E criou Deus o homem à sua imagem: à imagem de Deus o criou; macho e fêmea os criou." Se havia dúvidas acerca da nossa origem, a bíblia começa a esclarecer-nos nesse ponto. "A Escritura não abre espaço a qualquer ideia do acaso. Fomos feitos com um propósito distinto, e foram-nos dadas uma natureza e uma essência distintas logo desde o princípio. Feitos "à imagem de Deus" é um propósito (...)". Deus, que é amor, fez-nos com o propósito de O glorificar, de O amar, de fazer bem. Adorar a Deus é o mesmo que amá-Lo em reconhecimento. 
            A lição de Segunda-feira e de Terça-feira dá-nos alguns pontos importantes nesta questão. Diz-nos que "Ser criado à imagem de Deus parece ser necessário para uma determinada função: neste caso, para ter "domínio" sobre o resto do que Deus tinha criado. (...) Ser criado à imagem de Deus significa também que os seres humanos deviam representar Deus no mundo. (...) Então ser feitos à imagem de Deus envolve certamente a capacidade de relacionamentos íntimos e amorosos (um facto que reflete seguramente o relacionamento na própria Divindade).".
            Porém o pecado, marcou todos os aspecto da vida humana. Adão, alguém também criado por Deus, não um ser mítico ou algum símbolo, caiu em pecado. Neste aspecto seria importante que lê-se Romanos 5:12-21. Foi de facto Adão que permitiu que o pecado entrasse na terra (Romanos 5:12). Foi aí que Jesus Cristo desceu a esta terra. Não havia ninguém melhor ou mais parecido com o pai do que o próprio filho. É como se ele fosse o "segundo Adão" e veio restaurar esse mal nesta terra. Diz-nos em Romanos 5:15 "Pois se pela ofensa de um morrerão muitos, muito mais a graça de Deus e o dom pela graça de um só homem, Jesus Cristo, abundou para com muitos." e ainda Romanos 5:20 e 21 diz que "Mas onde o pecado abundou, superabundou a graça, para que, assim como o pecado reinou pela morte, também a graça reinasse pela justiça para a vida eterna, mediante Jesus Cristo nosso Senhor."
            Mas pela graça de Deus temos a oportunidade "de renovação e de restauração da imagem de Deus em nós, pelo menos até certo ponto." "O verdadeiro objectivo da educação é restaurar a imagem de Deus no indivíduo. (...) O pecado manchou e quase fez esquecer a imagem de Deus no homem. Foi para a restaurar que se tinha concebido o plano da salvação, e se concedera ao homem, um tempo de graça."
            Que hoje eu e tu possamos nos reconciliar com Deus ao ponto de reflectir-mos o seu amor. Deus tem o propósito de restaurar a Sua imagem, na medida em que os Seus filhos aceitam os méritos de Cristo. Estás tu pois, disposto a aceitar esse propósito? Que Deus te abençoe grandemente. Amém. 

Vinde a Mim

Vendo com os Olhos de Deus


Bem-aventurados, porém, os vossos olhos, porque vêem; e os vossos ouvidos, porque ouvem. Mat. 13:16.

Repetidas vezes o Novo Testamento nos conclama a olhar para as pessoas com os olhos de Deus. Somos convidados a ver as pessoas de uma nova maneira. O apóstolo Paulo afirma isto em II Coríntios 5. Ele escreve sobre Jesus morrendo por todo o mundo, tendo em vista a salvação de cada um dos seres humanos (versos 14 e 15). Ele escreve sobre a diferença que faz o sacrifício, como devemos olhar para as pessoas através do amor de Cristo.
Sob essa óptica, passamos a olhar para elas como pessoas por quem Cristo morreu. Sabes o que isto significa? Significa que essas pessoas têm um valor infinito.

Olhar para as pessoas com os olhos da graça. É isso que importa. É isso que faz a diferença neste mundo. Não ficamos fascinados com a embalagem. Olhamos o que existe no interior. Focalizamos aquilo em que as pessoas se tornam.

Isto faria a diferença no trabalho ou na escola e até mesmo na igreja. Há pessoas em todo o lado que têm tanto para dar, mas que são deixadas a um canto só por causa da aparência.

Faria a diferença no casamento. Precisamos ser valorizados por aqueles que estão perto de nós, e precisamos ser valorizados principalmente pelo que há em nosso interior.

E faria uma diferença enorme para os filhos. Eles precisam crescer sabendo que são valorizados pelo que existe no seu interior, pelo seu potencial e por seu carácter. Há muitas coisas no mundo dos adolescentes que falam exactamente o oposto. Eles são classificados pela aparência e pelo desempenho. Querem muito ser aceites, ser populares. Mas a popularidade é tantas vezes determinada por coisas superficiais e exteriores.
Para Deus, o carácter é o que conta. Deus olha para a pureza dos nossos motivos. Ele olha para a sinceridade do nosso coração. Ele olha para a sinceridade de propósito em nossa vida. Quando olharmos com os olhos de Deus, também veremos muito além da superfície. Veremos não meramente o que as pessoas fazem, mas olharemos para a pureza do seu propósito. Veremos o valor de cada indivíduo. Teremos mais consideração para com os que estão próximos de nós. Afinal, eles foram criados à imagem de Deus e remidos pelo Seu sangue.

M.Finley

Recolha de Alimentos ADRA Figueira da Foz

A delegação da ADRA da Figueira da Foz, quer agradecer mais uma vez a todos os voluntários que no domingo dia 30 de Setembro, participaram ativamente na recolha de alimentos que se efetuou no hipermercado E Leclerc.
Um bem haja a todos.
Helena Ganhitas

Walk On the Water

Integridade


Havia um homem na terra de Uz, cujo nome era Jó; homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desviava do mal. Jó 1:1

Quer queiramos ou não admitir, a igreja de nossos dias está atravessando uma grave crise de integridade.

Uma das mais simples definições de integridade é a qualidade de ser autêntico, transparente, honesto. É demonstrar o que realmente eu sou nos meus negócios, na minha empresa, na minha congregação religiosa, no meu lar. Mas, não vamos pensar naquele membro da igreja, naquele pastor, naquele empresário, naquele outro.

Façamos um pacto, você e eu: vou pensar só em mim e você vai pensar só em você, e vamos fazer algumas perguntas bem pessoais: Tenho sido íntegro e fiel como foi Jó? Como as pessoas me vêem no meu ambiente de trabalho, nos meus negócios, no relacionamento com meus clientes e fornecedores, na escola, na universidade, na igreja, na comunidade em que vivo?

Ouvi do pastor Ruy Nagel a história de uma senhora cristã que precisava desesperadamente vender um imóvel para poder liquidar uma hipoteca. Quando alguém ia ver o imóvel, ela sempre dizia: “Esta pode ser uma boa compra, mas quem adquirir o imóvel terá que trocar a caldeira por outra nova.” Diante disso, muitos acabavam desistindo.

Então, a filha, aborrecida com essa atitude da mãe, disse-lhe: “A senhora sempre tem que informar aos compradores a respeito da caldeira, mamãe?” “Creio que sim, minha filha. Não conheço nenhuma declaração bíblica que diga que devemos dizer a verdade sempre que pudermos e mentir quando for conveniente.”

Um último interessado, depois de ouvir todas as explicações, disse: “Negócio feito. Sou técnico em caldeiras e eu já sabia do problema. O que poderia me deixar preocupado seria a senhora não me dissesse nada acerca da caldeira, porque, então, eu poderia pôr em dúvida as demais informações. Agora, me sinto seguro para comprar o imóvel.”

Wilson Sarli

Convenção ASI Portugal 2012 - 4 a 6 de Outubro






   SEXTA, 5 DE OUTUBRO, LISBOA, IGREJA CENTRAL

20h00: Dr. Youngberg
SÁBADO, 6 DE OUTUBRO, LISBOA, AULA MAGNA
10h00 - Escola Sabatina - Rivelino Montenegro
11h00 - Projectos de Evangelismo 2012/2013


11h45 - CULTO - Jeffrey Rosario

15h30 - ASI EM ACÇÃO! Projectos e Testemunhos
17h00 - Mensagem Espiritual - Dr. Youngberg

Há Um Clamor

Para Saber Como É!


E isto vos servirá de sinal: encontrareis uma criança envolta em faixas e deitada em manjedoura. Luc. 2:12.

Era a véspera de Natal de 1952 em uma remota vila da Coreia  Uma mulher solitária de pouco mais de 20 anos de idade caminhava lentamente por uma das ruas da cidade. Era difícil para ela ir mais depressa por causa do vento forte. Grávida de nove meses, seu bebé estava previsto para aquela noite. Ela não tinha família. Aquela moça engravidara de um soldado americano. Agora, sozinha, sem ter um lugar onde dar à luz o seu filho, ela lembrou-se de um bondoso missionário que morava do outro lado da cidade. Ela esforçou-se para chegar à casa dele, mas teve que se abrigar debaixo de uma ponte porque chegara o momento de o bebé nascer.

Para proteger o bebé do frio da noite, ela o envolveu em suas próprias roupas. Na manhã de Natal, logo cedo, ao atravessar a ponte, o pastor missionário ouviu o choro do recém-nascido. Rapidamente, desceu para ajudar. Para sua surpresa, ele encontrou a mãe inerte, morta pelo frio. Mas o bebé, envolto nas roupas da mãe, passava bem. O missionário adotou o bebé.

Dez anos depois, na véspera de Natal de 1962, o pai contou para o filho adotivo a história do incrível sacrifício de sua amorosa mãe. O menino ficou profundamente emocionado.

Na manhã de Natal, quando o pai entrou no quarto do menino para acordá-lo, encontrou a cama do filho vazia. Ao olhar pela janela, o pai viu o menino ao longe naquela ponte em que fora encontrado. Descalço, desnudo até a cintura, tremendo na neve, e em prantos, o menino disse: "Papá, eu só queria saber o que a mamã sentiu naquela noite quando ela morreu por mim."

Jesus queria saber como era sentir-se só, cansado, rejeitado, triste, machucado e ferido. Por isso, Ele veio a este mundo frio, cruel e calejado. Tudo o que Jesus experimentou foi por nós. Ele sabe. Ele entende. Ele tem empatia. Ele fica preocupado. Ele veio para perto de nós. Ele tremeu connosco neste mundo frio. Ele sabe o que tu estás passando agora mesmo e está ao teu lado para te ajudar.

M. Finley

Manso e Suave

Pescoço e Coração


Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao pescoço;
escreve-as na tábua do teu coração. Prov. 3:3.

É madrugada na cidade de San Luis, na Argentina. Ontem à noite, vi uma cena comovente. Júlio foi batizado e a esposa não sabia. Foi uma surpresa, porque durante anos ele rejeitou a Jesus. As 800 pessoas que estavam no teatro para ouvir a exposição da Palavra de Deus ficaram emocionadas.

Hoje, já é outro dia. Ainda não nasceu o sol, e da janela do hotel contemplo a cidade. Dentro de pouco tempo, milhares de pessoas iniciarão as atividades do dia. No fim da tarde, umas voltarão vitoriosas, e outras derrotadas. A vida é assim. Mas poderia ser de outro modo. Deus estabeleceu princípios para uma vida produtiva e feliz.

Um desses princípios está no provérbio de hoje. O sábio se refere aos conselhos divinos como a benignidade e a fidelidade. Ambas as palavras poderiam ser traduzidas também como misericórdia e verdade. O conselho de Salomão é que esses ensinamentos devem ser atados ao pescoço e escritos no coração.

Os judeus levavam esse conselho a sério. Atavam uma miniatura das tábuas da lei ao pescoço, de modo que cada vez que se movimentassem pudessem ver aquele símbolo dos conselhos de Deus e lembrassem que a obediência ou a desobediência a esses conselhos determinaria o triunfo ou a tragédia da pessoa.

É triste observar que o ser humano, por natureza, é formalista. Dá muita importância às coisas que se vêem e descuida das que não se vêem. Ata os conselhos ao pescoço, mas não os escreve no coração. Por isso, um dia Deus disse: “Este povo se aproxima de Mim e com a sua boca e com os seus lábios Me honra, mas o seu coração está longe de Mim.” Isa. 29:13.

Nada há mais destrutivo do que o formalismo. Viver de aparências. Cumprir tudo em público, mas não viver a verdade, é prejudicial e destrutivo. Além de não funcionar, carrega o trauma da incoerência, que desequilibra a vida interior.

Já amanhece. No horizonte vejo o sol. Este é um novo dia. E, como todo ser humano deseja ser feliz, peço a Jesus que o conselho de Salomão seja uma realidade para mim: “Não te desamparem a benignidade e a fidelidade; ata-as ao pescoço; escreva-as na tábua do teu coração.”

A.Bullón

4ª Convenção ASI Portugal - Não falte!

Somente em Cristo

Tradução AQUI

Mulher apaixonada


A loucura é mulher apaixonada, é ignorante e não sabe coisa alguma. Prov. 9:13.

O verso de hoje afirma que a loucura é “mulher apaixonada”. A palavra hebraica dá a entender que ela é sedutora, voluptuosa, glamourosa e atrativa. Tem a facilidade de conquistar e cativar muita gente. Mas, por trás de todo aquele aspecto maravilhoso, esconde-se um ser ignorante.

Ignorante não é aquele que não sabe. O “não saber” é o início da sabedoria. Como poderia o homem ter inventado ou descoberto tanta coisa, se no início não tivesse ignorado informações que o levaram a pesquisar? Ignorante é aquele que crê que sabe, quando na realidade não sabe “coisa alguma”, diz o texto.

Conta a anedota que um “ignorante” chegou em casa com fome, procurou algo entre as coisas que a esposa acabara de comprar, pegou uma barra de sabão e quando estava levando-o à boca, a esposa interrompeu.

– O que está fazendo? Isso é sabão!

– É queijo – respondeu o marido com firmeza.

– Mas, querido, fui eu que comprei aquilo. Eu comprei sabão.

– Eu já disse que é queijo – afirmou o esposo enquanto dava a primeira mordida. Num instante percebeu seu erro. Era sabão, mas continuou mastigando enquanto a espuma saía pela boca e a esposa olhava para ele espantada.

– O que está olhando? – reclamou ele. – Tem gosto de sabão, mas é queijo.

Você está rindo? Todos os dias, em todos os lugares, você pode achar pessoas ignorantes. Você e eu corremos diariamente o perigo de cair nas ciladas da sedutora insensatez. Quantos lares sofrem, quantos negócios não deram certo, quantas carreiras foram destruídas, quantos relacionamentos quebrados por causa da insensatez.

É preciso buscar sempre o caminho da sabedoria. Ela chama, bate à porta do coração, deseja entrar na vida das pessoas, nos lares e nas empresas, mas não arromba a porta. É preciso que alguém abra do lado de dentro.

Faça de hoje um dia de sabedoria. Seja humilde e receptivo aos conselhos divinos e não se esqueça de que a “loucura é mulher apaixonada, é ignorante e não sabe coisa alguma”.
A. Bullón

Sem Pressa


Sem Pressa
Vou caminhando e me atrevo a crer
 Que sem saber eu acreditava conhecer
 Eu segui os seus passos como um barco de papel
 Eu estava naufragando, mesmo sem entender
 Seu amor, seu amor por mim

Te afastei com minha força, eu lutei
 À distância se movia meu querer
 Ontem te vi e hoje não sei se estás aqui
 Que tolo eu fui, tão pouco compreendi
 O seu amor, seu amor em mim

É seu amor que continua hoje aqui
 Sem dar-me conta fui eu quem me escondi
 Estava longe mas com ele entendi
 Seu amor não foi embora, continua aqui.

Vou caminhando, passo a passo seguirei
 Quando me canso, a Teus braços chegarei
 Eu fico confuso, sei que sozinho morrerei
 Então, venho render-me a seu amor
 Seu amor em mim

É seu amor que continua hoje aqui
 Sem dar-me conta fui eu quem me escondi
 Estava longe mas com ele entendi
 Seu amor não foi embora, continua aqui.

É o seu amor me levanta
 Que me segura e não me solta
 Que me alivia e me liberta

O seu amor não traz condenação
 Não há notas nem esquece
 Que por mim entregou sua vida
 Sou eu aquela ovelha que procurou com toda pressa
 Me encontrou com seu sorriso, me abraçou com suas carícias
 O seu amor me emudece e me agita
 É minha lâmpada acesa
 É meu fogo e não cinzas
 Seu amor não tem pressa.

Luz e Salvação


O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo? O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei? Sal. 27:1.

Ligou para mim um empresário que atravessava seu pior momento financeiro. Nada dava certo. Já havia feito todos os ajustes necessários para tirar a empresa do sufoco, mas parecia inútil.

“Precisava passar por esta provação para saber que meu cristianismo e a minha confiança em Deus não passavam de mera teoria” – expressou angustiado. “Confiar em Deus quando a empresa crescia era fácil. Mas, hoje, que estou à beira da falência, compreendo que nunca fui um bom cristão” – concluiu.

Você já experimentou o desânimo em momentos difíceis da vida? O verdadeiro cristão nunca fraqueja? Sua fé permanece inabalável em meio à tormenta?

Talvez você tenha que ler todo o Salmo 27. Escolhi para o devocional de hoje apenas o verso um. O salmista expressa nele toda a sua confiança em Deus. “O Senhor é a minha salvação; de quem terei medo?” pergunta. “O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?”, indaga. Que confiança!

Os primeiros seis versículos deste salmo são declarações extraordinárias de confiança em Deus. “Ainda que um exército se acampe contra mim, não se atemorizará o meu coração; e, se estourar contra mim a guerra, ainda assim terei confiança”, declara o salmista no verso 3.

Mas, de repente, no verso 7 acontece algo estranho. Toda aquela confiança desaparece. Na segunda metade do salmo, encontramos um Davi medroso: “Ouve, Senhor, a minha voz; eu clamo, compadece-Te de mim e responde-me.”

O que aconteceu com toda a confiança da primeira parte? Nada. Estava ali, no mesmo lugar. Só que o coração do salmista é um coração humano, como o seu e o meu. Tão humano quanto o de Jesus na cruz do Calvário, ao perguntar ao Seu Pai: “Por que Me desamparaste?” Mat. 27:46.

O Pai não O havia abandonado. Assim como não abandonou Davi em meio à tribulação e como não abandonará você nunca, embora seu coração, às vezes pressionado pela dor e sofrimento, sinta que Deus não se lembra de você.

Por isso, hoje, não importa que tudo ande bem ao seu redor, ou que a tormenta assustadora pareça afundar sua embarcação, ore ao Senhor dizendo: “O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo? O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?”
A.Bullón

Ao Soar da Trombeta



Hino oficial do Acampamento Nacional de Desbravadores 2012

Dono do Meu Amor

PROPÓSITO NA VIDA


Da soberba só resulta a contenda, mas com os que se aconselham se acha a sabedoria. Prov. 13:10.
Pepe Barreto tem uma estrela no corredor da fama em Hollywood. O reconhecimento foi-lhe outorgado por ser um dos melhores comunicadores latinos de Rádio e Televisão.
Assentados em torno de uma mesa do restaurante em Glendale (CA), ele falou-me emocionado de seu encontro com Jesus. “Foi o momento mais dramático de minha vida”, ele disse. “Tinha fama, dinheiro, aplausos e tudo que o ser humano crê que precisa para ser feliz. Mas me sentia vazio e angustiado. Foi nessas circunstâncias que a Bíblia chegou às minhas mãos e comecei a estudá-la com devoção.”
Pepe falou-me de sua luta interior para render-se a Deus. A soberba era grande. Afinal de contas, poucas pessoas alcançariam na vida o reconhecimento público que ele tinha. Como pedir conselho a alguém e dizer: “Ajude-me, por favor”?
O texto de hoje afirma que “da soberba só resulta a contenda”. Não é apenas contenda com outras pessoas. Esse é o resultado final da contenda interior. O soberbo não aceita a si mesmo. Seu orgulho o convence de que é superior aos outros e isso gera angústia, porque os outros não pensam de igual maneira.
Conheci Pepe Barreto transformado numa pessoa simples e desejosa de aprender de Jesus. Eu o conheci certa noite, depois de uma reunião na qual tinha falado do amor de Deus. Pepe tinha ido lá querendo ouvir de Jesus e crescer mais em sua experiência espiritual.
Naquele outro dia, assentado à mesa do restaurante, ele contou-me que em certa ocasião telefonou para um amigo que estava completamente mergulhado no alcoolismo e nas drogas porque perdera um filho. Pepe falou-lhe de sua experiência com Cristo e do amor de Deus. Semanas depois, encontrou-se com alguém que lhe perguntou: “Olha, o que você falou para Tintán? Desde que você ligou para ele, mudou completamente, para melhor.”
Os olhos de Pepe brilharam de emoção. “Aquele dia senti que minha vida tinha um propósito”, ele disse. “Aquela estrela no passeio da fama será destruída quando Jesus retornar. Mas aquela vida transformada ficará pela eternidade!”
É verdade: “Da soberba só resulta a contenda, mas com os que se aconselham se acha a sabedoria.”
A. Bullón

A Broken Heart

Escolhas


Se és sábio, para ti mesmo o és; se és escarnecedor, tu só o suportarás. Prov. 9:12.

Todo ser humano nasce livre. As escolhas fazem a diferença. Uns escolhem para o bem, outros para o mal. No verso de hoje, Salomão coloca a responsabilidade da vitória ou da derrota nas mãos da própria pessoa.
É verdade que existem muitas explicações para a derrota. O clima, as circunstâncias, a falta de oportunidades, os problemas, enfim. Difícil é aceitar o fato de que a maioria das derrotas tem raízes nas decisões erradas que tomamos.
Se você procurar o conselho divino e ajustar a sua vida a ele, o resultado natural será a sabedoria que o conduzirá à vitória. A única pessoa beneficiada com essa decisão é você. Se em meio à noite escura decido acender a lâmpada, quem é que vai sair ganhando com a minha decisão? Mas se decido andar às escuras, quem vai acabar tropeçando e se machucando?
As instruções divinas são luz. Iluminam o caminho escuro a fim de chegar com segurança ao destino. Sem luz, a pessoa tropeça, cai, se machuca e não encontra o que procura.
Nunca, como hoje, as pessoas falaram tanto acerca da luz. “Ele tem luz”, “você tem a aura”, “Raul é uma pessoa iluminada”. Existe a idéia de que este mundo está cheio de energia positiva e negativa. Dizem que pessoas positivas têm luz e pessoas negativas são tenebrosas.
Mas a vida não depende de energia. A vida é energia. A vida depende de decisões. Não posso deixar a minha “sorte” nas mãos da Lua, das estrelas, das pirâmides, dos números ou das pedras. Se existe algo que Deus entregou a todo ser humano é a capacidade de decidir. Em vez de pensar que uns nascem com luz e outros sem, a criatura deve procurar a verdadeira luz que vem dos ensinamentos divinos e acessíveis a todos. A Palavra de Deus é a tocha que ilumina, no lugar do choro.
Faça de hoje um dia de decisões sábias. Procure a luz da Palavra de Deus. Decida seguir os princípios divinos e prepare-se para receber as grandes vitórias que Jesus tem reservado para você e sua família. Porque “se és sábio, para ti mesmo o és; se és escarnecedor, tu só o suportarás”.
A. Bullón

Ele Conhece Meu Nome

Estou Sozinho


"Volta-Te para mim e tem compaixão, porque estou sozinho e aflito." Sal. 25:16

O herói infantil He-man mostra a espada e grita: “Eu tenho a força.” Mas, no verso de hoje, Deus afirma: “Minha é a fortaleza.” Quem tem a razão? Alguém está mentindo. Não pode haver duas verdades ao mesmo tempo.
O humanismo de nossos dias ensina que há energia quase divina dentro do ser humano. “Concentre-se, tire a energia dentro de você, mentalize”, afirmam. Quanta verdade existe nessas afirmações? Quanto poder e força interior possui o homem?
A Bíblia, por sua vez, ensina que a força vem de Deus. É dEle que vem o conselho e a verdadeira sabedoria. O valor da criatura é extrínseco. Valemos porque Deus nos considera valiosos, não porque tenhamos valor em nós mesmos.
Portanto, para ser feliz e realizado nesta vida, você precisa ir diariamente à fonte inesgotável de sabedoria. Deus é o Criador e conhece melhor do que ninguém a obra de Suas mãos. Quem melhor do que Ele para mostrar-lhe o caminho da prosperidade?
O ser humano natural não gosta de receber conselhos, prefere aconselhar. Não aceita ser o segundo, quer ser sempre o primeiro. Foi assim desde o princípio. A serpente disse a Eva: “Como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal.” Gen. 3:5. Que ideia sedutora. Ser como Deus. Desde aquele dia, a humanidade iniciou a desesperada corrida em direcção da sua própria divinização. Gosta de brincar de Deus. Inventa pequenos deuses. Sente-se Deus.
Para que conselho? Ou instrução? “Eu tenho a força”, o ser humano grita bem alto. No fundo, nem ele próprio acredita na sua teoria oca, mas persiste e insiste, a despeito de suas frustrações e derrotas.
Hoje, você precisa de sabedoria e de conselho para tomar uma decisão importante? Sente-se cansado, triste, magoado e precisa ser fortalecido? Vá a Jesus. Ele sempre está com os braços abertos, esperando o retorno dos Seus filhos. Só nEle você poderá encontrar refúgio, alívio e forças para carregar o fardo que as circunstâncias lhe impõem. Ele afirma: “Meu é o conselho e a verdadeira sabedoria, Eu sou o Entendimento, Minha é a fortaleza.”

His voice - David M.

Fale de Jesus


Rendei graças ao Senhor, invocai o Seu nome, fazei conhecidos, entre os povos, os Seus feitos. Sal. 105:1.

Alguém me fez uma pergunta estranha: “Eu sei que devo orar e meditar na Palavra de Deus todos os dias, porque esta é a maneira de manter o relacionamento com Jesus, mas comigo não dá certo. Muitas vezes me propus a separar tempo diário para Jesus, mas em poucos dias minhas determinações desaparecem. Qual é o problema comigo? Por que não consigo ser constante na minha vida devocional?”

O salmista responde à pergunta dessa pessoa. Para que a vida devocional do cristão seja uma experiência duradoura, deve envolver três coisas: render graças, invocar e fazer conhecidos os atos de Deus. O terceiro elemento é o “conservante” da vida devocional.

Se você limitar sua devoção diária a orar e estudar a Bíblia, em pouco tempo perderá a motivação. O que sustenta o desejo de buscar diariamente a Jesus é tornar “conhecido, entre os povos, os feitos de Deus”.

Qualquer verdade aprendida e não transmitida desaparece em pouco tempo. Quando você conta para alguém o que Jesus faz diariamente em seu favor, sua experiência cristã se aprofunda e você sente vontade de continuar buscando a Jesus em oração e através do estudo das Sagradas Escrituras.

O testemunho diário não é uma opção, é o único caminho para continuar crescendo na experiência espiritual. Quando Jesus deixou aos Seus discípulos a missão de pregar o evangelho, não foi por que Ele não pudesse fazê-lo de outras maneiras. Somos nós, os seres humanos, que precisamos “fazer conhecidos, entre os povos, os Seus feitos”, para que não se percam na lembrança do passado. Eles tornam-se vida quando são contados a outros.

Não fique em silêncio hoje. Conte para outros as coisas maravilhosas que Jesus fez por você. Verá que além de afirmar essas verdades na sua vida, você esquecerá as tristezas, dificuldades ou provações que estavam distraindo sua atenção.

Siga o conselho do salmista: “Rendei graças ao Senhor, invocai o Seu nome, fazei conhecidos, entre os povos, os Seus feitos.”

A. Bullón

Hold Me

O Cristão Paralitíco

“Achava-se ali um homem que, havia trinta e oito anos, estava enfermo. Jesus, vendo-o deitado e sabendo que estava assim havia muito tempo, perguntou-lhe; ‘Queres ficar são?’” (João 5:5-6)

Que maravilhosa pergunta fez Jesus! Todos nós conhecemos esta história. Jesus vai a Jerusalém, não por causa dos momentos festivos, mas para levar a cura, a esperança e a alegria a centenas de pessoas que esperavam por esse momento.
 Perto da porta das ovelhas, havia um tanque chamado Betesda, que significa “Casa da Misericórdia”. Muitos juntavam-se ali para tentar a sua sorte.
 A casa da Misericórdia é o melhor lar para habitar. Primeiramente procuramos misericórdia do nosso próximo, a misericórdia da Igreja e principalmente a misericórdia de Deus. Misericórdia ou compaixão é um dom que encontramos muito pouco no nosso mundo de hoje. No entanto, todos os cristãos vivem neste mundo como se estivessem junto da porta, à espera de um milagre. No entanto, gostaria de dizer que o maior milagre que podemos receber é verdadeiramente a misericórdia de Deus. Pois somos pecadores e estamos separados da presença de Deus. Dia a dia esperamos que o Espírito Santo realize uma transformação imediata, enquanto o paralítico esperou 38 anos por aquele milagre.
 Sabemos que Deus dirige a nossa vida, não importa há quanto tempo esperamos ou quanto tempo mais iremos esperar. Sabemos que os dias de Deus não são os nossos dias. A Bíblia ensina-nos que milagres não se explicam, aceitam-se.
 No entanto, todos esperavam ver o movimento das águas para depois acreditar. A fé é a atitude mais importante para aquele que quer ser curado. Jesus dá uma ordem, mas não dá nenhuma garantia. Este homem só tem duas escolhas; aceita sem ver, ou duvida e ficará no mesmo estado.
 “Para a liberdade Cristo nos libertou, permanecei, pois, firmes e não vos dobreis novamente a um jugo de escravidão.” (Gálatas 5:1). Jesus quer libertar-nos do pecado. Não nos acomodemos ao pecado. Lembremo-nos que estar apenas junto à porta não salva.

Hoje mesmo, Jesus quer fazer-nos a mesma pergunta: “Queres ficar são?” Respondamos que sim. Deixemos o tanque, e lancemo-nos nos braços de Jesus, pois Ele está a convidar-nos!

Meditações Matinais 2010
IASD Portugal
Dia 8 Fevereiro, Pastor António Rodrigues

Unmasked

Misericórdia Divina

“Porque o Senhor é bom, a Sua misericórdia dura para sempre, e, de geração em geração, a Sua fidelidade.”
(Salmo 100)

John Cloud conta na revista Times que, na manhã do famoso 11 de Setembro, Genelle chegou cedo ao 64º andar da torre norte do World Trade Center, onde trabalhava. A jovem ligou o computador e, repentinamente, ouviu um estrondo assustador. Ela não sabia, mas o voo 11 da American Airlines, acabava de bater contra o prédio onde estava.
 No início não teve medo. Só curiosidade. Dirigiu-se à janela e viu um monte de papéis no ar. Ouviu gritos e alguém a dizer que um avião chocara contra o prédio. “Temos de sair daqui”, gritavam alguns. Genelle entrou em pânico. Não sabia se devia descer pelas escadas ou esperar ali. O alarme contra incêndios soava enlouquecidamente. Toda a gente gritava e ninguém sabia o que fazer.
 Quando finalmente decidiu descer, a escada estava cheia de fumo. Nisto, ouviu outro ruído ensurdecedor. Ela pensou que era o fim. O que não sabia é que centenas de pessoas acabavam de morrer ao ruir a torre sul. Eram 9h59 e a torre norte onde ela se encontrava ruiria também 29 minutos depois.
 Genelle descia as escadas do 13º andar, quando ouviu outro ruído descomunal. Sentiu que era levada como uma bola de pingue-pongue e desmaiou. Quando acordou, estava presa. Doía-lhe todo o corpo e não se podia mexer. Tocou em algo macio ao seu lado e percebeu que era um cadáver. Ficou apavorada. As horas passaram e Genelle desmaiou novamente.
 Ao despertar, já era noite. Clamou a Deus. Sentiu-se melhor e orou outra vez. De repente, ouviu vozes e gritou: “Estou aqui.” Uma voz respondeu: “Pode ver a luz?” Ela não podia, mas a equipa de resgate encontrou-a e salvou-a.
 No meio da tragédia daquele dia, Genelle entregou a vida a Deus. Hoje, ela ora e estuda a Bíblia diariamente. Recebeu um pouco de ajuda financeira do governo, mas não pensa em pedir indemnização. “Agora sou cristã”, explica. “Acho que ninguém é culpado. Antes, vivia preocupada só com o dinheiro, e com a minha aparência física. Hoje, coxeio e tenho cicatrizes horríveis, mas isso não me preocupa. Já não tem tanta importância, porque eu estou viva. Só a vida já é motivo para ser feliz”, afirma com convicção.
 Por isso, hoje mesmo que haja sombras à sua volta, reconheça que “o Senhor é bom, a Sua misericórdia dura para sempre”.

Janelas para a vida  – Meditações Matinais 2008
 Alejandro Bullón

23º Aniversário - Desbravadores Figueira da Foz

PROGRAMA ESPECIAL NO SÁBADO DE MANHÃ, O SERMÃO SERÁ APRESENTADO POR SUSANA LUCAS. 


ALMOÇO CONVÍVIO NA SERRA DA BOA VIAGEM. 


ÀS 15:30, TAMBÉM NA SERRA, TEREMOS A CERIMÓNIA DE INVESTIDURAS.

NÃO TE ESQUEÇAS DE VIR FARDADO. ;)

Ocean Wide

Palavras Justas


São justas as palavras da minha boca, não há nelas nenhuma coisa torta, nem perversa. Prov. 8:8.

Aprendi com os erros que as palavras são transcendentais na vida de uma pessoa. Guardo lembranças tristes de palavras que não devia ter dito. Descobri que sou apenas um ser humano que transita uma longa jornada de crescimento.

Ao longo de todo o livro de Provérbios, o sábio Salomão parece dizer: Vigie as suas palavras e será mais feliz. No verso de hoje, ele fala de palavras justas. Justiça não é apenas retidão, é também exatidão. Palavras justas são palavras que encaixam, cabem perfeitamente no lugar onde são colocadas. Palavras corretas numa ocasião podem ser incorretas e fora de lugar em outras. A sabedoria coloca nos lábios a palavra certa para o momento certo.

Salomão contrasta a justiça com a perversidade. Ele afirma que nas suas palavras “não há nenhuma coisa torta nem perversa”. A palavra torta, em hebraico, é pathal, e se refere a uma corda cujo fio é tão finamente entrelaçado que ninguém consegue identificar uma linha da outra.

Essa é uma figura para ilustrar as palavras torcidas, a linguagem dupla, uma hora boa, outra ruim. Há conversas maliciosas que dão a entender uma coisa, mas querem dizer outra.

Pessoas que não vivem em comunhão com Jesus usam a linguagem como arapuca. “Plantam verde para colher maduro.” Às vezes, conseguem o que querem, mas o que alcançam não as satisfaz. Ficam com o sabor amargo de uma vitória oca.

A vida da pessoa sábia é de crescimento. Sempre existem novos horizontes a serem alcançados em todas as áreas da vida. Cada dia é um novo desafio, com novas metas e novas propostas. Sabem que da abundância do coração, fala a boca. E então levam o coração a Jesus.

Enche o teu coração do amor de Deus e transborda amor aos que encontrares no teu caminho. Diz como Salomão: “São justas todas as palavras da minha boca, não há nelas nenhuma coisa torta, nem perversa.”

A. Bullón

Maior Amor


“Ninguém tem maior amor do que este: de dar alguém a própria vida em favor dos seus amigos.” (João 15:13)

No lugar muito distante, no Vietname, um orfanato dirigido por um grupo de missionários foi atingido por uma bomba. Os missionários e duas crianças morreram, e os restantes ficaram gravemente feridos. Uma menina de oito anos, era o ferido mais grave. Pelo rádio, conseguiram chamar um médico e uma enfermeira da marinha dos Estados Unidos da América.
 A menina estava a perder muito sangue; tinham de agir rapidamente. Tinham de lhe fazer uma transfusão de sangue. Mas, no meio da guerra, como seria possível? Depois de realizaram uma serie de testes, chegaram à conclusão de que ninguém tinha o mesmo tipo de sangue.
 Reuniram todas as crianças e tentaram explicar o que estava a acontecer. Eles precisavam de um voluntario para doar sangue. Depois de um longo silencio, viu-se um pequeno braço a levantar-se timidamente. Era um menino que se chamava Heng. Prepararam tudo para fazerem a colheita do sangue. Ele mantinha-se quieto e com o olhar a fixar o tecto.
 Passado algum tempo, deixou escapar um soluço e colocou a mão na cara. O médico perguntou-lhe se estava com dores, e ele disse que não. Mas logo a seguir soluçou novamente. O médico ficou preocupado e perguntou-lhe novamente se estava com dores, e ele voltou a negar que estava com dores. Os soluços deram lugar a um choro silencioso, mas ininterrupto. Era evidente que algo não estava bem.
 Entretanto chegou uma enfermeira vietnamita, que falava a mesma língua do menino. O médico pediu-lhe que falasse com o menino para saber porque ele estava a chorar. Com uma voz suave, a enfermeira começou a falar com ele, e ele acalmou-se.
 A enfermeira explicou ao médico que o menino pensava que tinha de doar todo o seu sangue e que ia morrer. Não tinha entendido bem a explicação que lhe tinham dado. O médico de seguida chegou ao pé do menino e com a ajuda da enfermeira, perguntou-lhe porque se tinha oferecido para doar o sangue. O menino respondeu-lhe: ”Ela é minha amiga.” Nós também temos um Amigo que deu o Seu sangue por nós, e fez-lho justamente porque ama-nos.

Histórias Inesquecíveis
Ani Kohler Bravo